terça-feira, 3 de março de 2015

A perversão do sistema liberal segundo Luz Soriano

«As côrtes. como já dissemos, são sempre filhas do suborno e capricho do poder, do qual mais se devem considerar como delegadas, do que representação da nação. Sendo a camara dos pares, ou hereditária, da inteira nomeação do governo, sem intervenção directa, nem indirecta da nação, não póde haver duvida que ella só representa o poder. Vejamos agora o que sucede, quanto á constituição da camara dos deputados, ou camara electiva. Como da maioria das côrtes depende a conservação dos ministros no poder, e a preponderancia dos differentes partidos politicos nos destinos do paiz, são as eleições parlamentares a primeira origem da perversão do systema liberal, olhando-as uns e outros como o mais grave e transcendente negocio do estado, e portanto o unico a que todos consagram os seus incessantes cuidados, e a sua mais particular attenção. Para se obter um triumpho eleitoral todos os meios são lícitos e decentes, por mais indecorosos e immoraes que sejam, não duvidando recorrer a elles, tanto os ministros, como os differentes candidatos a uma cadeira parlamentar. Promessas de empregos, de condecorações e dinheiro, intimas allianças de corruptos e corruptores, protecção aos immoraes e facinoras por toda da autoridade, intervenção activa dos governadores civis, administradores e recebedores de concelho, regedores de parochia e cabos de policia em todos os actos eleitoraes, violentando escandalosamente os eleitores do seu respectivo districto a lhes aceitarem as listas, por cujo triumpho se empenham, offertas de protecções e bons officios aos que se prestam ás suas inspirações, ameaças de maior ou menor monta aos que lhes resistem, e finalmente baixezas e indignidades de toda a ordem, eis a pintura fiel de uma epoca eleitoral, pintura tanto mais verdadeira, quanto mais animada e concorrida é a votação dos eleitores. Em todas as localidades se estabelecem agentes, e se commissionam delegados sem moral, nem consciencia, e ás vezes mesmo cobertos de crimes, que todos se disfarçam, com tanto que similhantes agentes e delegados tenham coragem para calumniar os adversarios politicos dos patronos a quem servem; que sem nenhum escrupulo promettam, dêem e ameacem em nome de quem os occupa, segundo as circumstancias o pedirem; que deturpem os recenseamentos, que assaltem as igrejas para viciar as urnas, que nellas se depositam, que nas mesmas urnas tirem ou mettam as listas que querem, e finalmente que a todos estes titulos, sempre meritorios em epocas de eleições, reunam o de saber falsificar, ou mesmo de sumir as actas, quando assim fôr necessario.

Desgraçadamente o governo é sempre a alma e a vida da tão indecentes manejos, porque capitaneando uma das facções, que se debatem, e querendo como tal vencer as eleições para a sua conservação no poder, não se peja de entrar em transacções immoraes com homens d´aquella natureza, ou directamente por si, ou pelos seus delegados e pessoas da sua confiança».

Quantos paralelismos e similitudes com a nossa época actual. Este livro, editado em 1860, é um dos vários livros proféticos sobre a perversão liberal e democrata.



Transcrição feita do livro Revelações da Minha Vida de Simão José da Luz Soriano, com a grafia da época.

segunda-feira, 2 de março de 2015

A vergonha futebolística do século XXI

Não ando muito longe da verdade quando afirmo que o futebol da década de 90 do século XX era muito superior ao actual. Mas, de forma aleivosa e um tanto freneticamente, os comentadores e experts dizem o contrário; o futebol evoluiu e continua a evoluir, dizem. 
Só se for pela via do aumento de época para época dos milhões envolvidos, como se de tremoços se tratassem, em dia de romaria...

Na emergência do século XXI, despontaram uma série de empresários que, muito oportunamente, para eles, minaram as naturais e intrínsecas estruturas do futebol. A partir daqui, qualquer clube de maior dimensão sobrepunha o seu direito de contratar este ou aquele jogador sobre o direito dos outros clubes para se resguardarem da eventualidade de ter de vender porque os senhores fulanos de tal assim o exigiam. Tal como a lei Bosman, a maior aberração da história do futebol!

Qualquer clube de qualquer país europeu deveria ser obrigado a competir com um mínimo de jogadores nacionais, vamos dizer pelo menos 5 jogadores nacionais na equipa titular. mas claro que segundo as mentes dos legisladores de coisa nenhuma, apenas da legalização da roubalheira para alguns (poucos), isso não pode ser, porque essa medida seria xenófoba.. de ir ás lágrimas.. se não fosse tão sério.. o experimentalismo da nova ordem mundial há muito que chegou ao futebol, a remitificação do panteísmo xenófobo renasce numa nova versão, ou seja, para não haver xenofobia há anti-nacionalismo, e esses, os nacionais, nasceram sem nenhuma fobia associada, não possuem nenhuma cacafobia que os salve.

Mas lá segue o maior espectáculo desportivo do mundo, detido e controlado por estruturas altamente corruptas e altamente financiadas pelos donos desta merda toda, os maiores filhos da puta da história contemporânea.

Desde donos de poços de petróleo a construtores civis, passando por donos de protectorados a tosquiadores das estepes, todos estes detém os maiores clubes de futebol da europa, passando a controlar e a traficar influências conjuntamente com os empresários no mundo do futebol, e sempre com a conivência das estruturas corruptas e ladras do futebol e com leis feitas a pedido.

Mas é de notar (isto escapa evidentemente aos adeptos empedernidos, aqueles que agridem e interpelam adeptos que enverguem adereços de outros clubes), que a tendência para gastar à tripa forra começa a ter efeitos perversos. Quanto mais se gasta menos se joga, há excepções, mas poucas. É só pensar no campeonato inglês, onde de época para época aumentam os milhões gastos e os resultados são ridículos. O campeonato inglês só é considerado um dos melhores do mundo pela via dos muitos milhões que por lá circulam, se assim não fosse e analisando os resultados dos últimos 3 anos, não poderia ser considerado como tal. 

Razão tem o Mourinho, um modelo de campeonato gasto, sem sentido, inimigo dos clubes ingleses relativamente às competições da UEFA, e que fazem os baboides que comandam lá o pontapé na bola? Castigam o Mourinho, multas e mais multas e o Mourinho a mandá-los foder a todos, baixinho, que é como mais doí... e os resultados dos clubes ingleses nas competições europeias estão bem à vista, dá-lhes Mourinho chega-lhes a esse bando de bêbados inflamados.