quarta-feira, 19 de março de 2014

A paródia democrática Vs. Referendo da Crimeia

Eu rio-me a bom rir quando ouço e leio as declarações dos políticos de caca da UE, que não foram eleitos por ninguém, virem condenar o resultado do referendo da Crimeia. «Viola o direito internacional», dizem uns, como se o direito internacional não fosse violado todos os dias e a toda a hora em nome de interesses sujos, «viola a integridade territorial da Ucrânia», afirmam outros, como se a integridade de muitos territórios não fossem violada a todo o momento por indivíduos que não foram mandatos para o fazer.

Na Europa a única democracia que faz jus ao nome é a da Suiça, onde existe uma democracia directa em que os cidadãos do país são chamados a manifestarem-se em assuntos importantes. Aplicado agora o mesmo sistema na Crimeia, o mesmo é considerado ilegal pelos da "Paródia democrática", sem esquecer os "americaines" que também eles vão alinhando na paródia. 

A Rússia não precisa da UE para nada, mas a UE precisa da Rússia. Eis o grande pecado, e os cagalhões que pululam em bruchelas e em whasingtone querem mudar isso à força.

Está na hora de o cidadão acordar e dar uma lição a estes políticos de caca e aos seus amigos monopolistas, frequentadores de clubes maçonéticos, bilderbergs e trilaterais de testículo esticado.