terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Notas soltas sobre futebol - adeptos Vs. realidade

Este post é dedicado a todos os verdadeiros adeptos de futebol, aqueles que independentemente das suas preferências clubísticas, sabem o que é o futebol jogando-o de uma forma ou outra intuíndo na perfeição que futebol é estratégia em movimento e não movimento em estratégia como hoje acontece no futebol ultraprofissionalizado que existe.

Isto acontece porque a parte financeira é muito tentadora. Um clube que seja campeão europeu pode auferir, dependendo dos clubes, receitas que podem ir dos 35 milhões de euros a mais de 60 milhões de euros. Perante este panorama ditatorial do dinheiro, os grandes clubes fazem tudo para ganhar, as competições são desvirtuadas, a "concorrência é desleal".
Sob a mão de supostos génios, que mais não fizeram do que "cartelizar o futebol", vemos competições com demasiado desequilíbrio. Para isso, façam-se ligas de 8 clubes, no máximo.
Mas para além disto, existe hoje outro problema no futebol; os clubes, sobretudo os maiores mas não só, tornaram-se nos novos "bancos suiços", as novas lavandarias mundiais de dinheiro. Tal como acontece nos EUA, com o basebol e o basquete.
É ver uma série de clubes ingleses, escoceses, e em menor número belgas e holandeses na mão de magnatas russos e lituanos. É porque gostam muito de futebol e são adeptos desses clubes desde pequeninos...

Tal como em Espanha agora com o Valência e o Málaga, comprados por indivíduos que não conseguem arranjar bancos para lhes lavar a massa, e assim sendo recorrem ao esquema legal da corrupta UEFA para lavar a massa.

E a corrupta UEFA, sem esquecer a corrupta mor FIFA, enche-se de milhões e milhões para distribuir e redistribuir por empresários, intermediários, esgaçonários e torcionários de toda a espécie que nada percebem de futebol.

Basta atentar na actual edição da liga dos campeões, o futebol é sofrível e na suposta elite europeia só lá caberiam, neste momento, 5 ou 6 clubes. Quero eu dizer com isto que, mais uma vez o desequilíbrio é exagerado e não contribui para a evolução do futebol nem tão pouco para que possamos assistir a bons espectáculos de futebol. Muito pelo contrário, e quem disser o contrário.. que me desculpe mas, não compreende nem percebe de futebol. 
Mas milhões gastaram-se no defeso, sobretudo em Inglaterra o que não deixa de ser paradoxal, pois quanto mais dinheiro gastam os clubes menos jogam, isto de uma forma geral, evidentemente que há excepções. E isso vê-se perfeitamente com alguns clubes ingleses; o caso do Liverpool que na época passada nao foi campeão com algum azar (não conseguindo acabar com 24 anos de jejum) e esta época, depois de gastar mais de 100 milhões de euros em jogadores joga um futebol patético andando perdido no meio da tabela a 18 pontos do líder Chelsea e eliminado da liga dos campeões pelo Basileia, gerido por falsários que nada sabem de futebol.
E sou insuspeito para falar aqui no Liverpool, no estrangeiro é o meu clube preferido desde que me lembro de ver futebol. Nos anos 80 eram a melhor equipa do mundo, e mesmo depois de Heysel continuaram a ser a melhor até 1990, ano do último título inglês e do final de carreira da maior parte dessa geração fantástica de jogadores.


O Kop não marecia isto. Oh Steven! You don´t deserve this.
O Kop

Sem comentários:

Enviar um comentário