sexta-feira, 28 de novembro de 2014

O caciqueiro indignado - s(o)arilhos e traições

No tumulto generalizado pela prisão do ingilheiro ainda podemos ouvir a taramulhada de pessoas que deveriam ter vergonha e tento na língua. O grau de indignação patente naquele senhor, avozinho de tremelicosa beatitude, é sintomático da perfídia e da mentira que acompanham a construção política do nosso país. 

Devo dizer-te avozinho que tu só não foste engavetado porque tinhas uma série de padrinhos no exterior, que por interesses alheios à vontade do povo nunca permitiriam uma coisa dessas. Se o caso actual se tem dado com um político do espectro da direita, aí sim, as acusações seriam merecidas na tua opinião. Também tu, como bom socialista que és, não deixas de "amamentar as tuas causas e ideologias" no marxismo, neste caso, utilizas a «tolerância repressiva de Marcuse» que afirma categoricamente e "cagando na cabeça dos outros" que «os bons estão aqui deste lado e os maus estão ali..». 

És uma besta, tal como Marcuse, e ainda te dás ao luxo de vir publicamente e com uma indignação ridícula  e risível, defender o que não tem defesa. Claro que tem defesa no código de conduta da democracia da treta, que se fundou no totalitarismo da ingilharia abrilista pelos inimigos da democracia, mas a nível real e não no vosso mundo de estirpes à parte, toda a gente sabe o que aconteceu, ninguém é cego e burro ao ponto que tu e os teus amiguitos caciqueiros pretendem.

A tua fundação deveria ser dinamitada e os teus rendimentos reduzidos a 1/4 do que recebes, mas se tal acontecesse, os teus inúmeros afilhados todos chorariam ranho, baba e códeas durante anos. Coitados de nós, vivemos no país dos enganos, onde os que mais abrem a boca para (re)clamar democracia são os maiores inimigos dela. Mas pode ser que a história começe a ajustar contas convosco, sim vós os inimigos da Democracia. 

  

Sem comentários:

Enviar um comentário