quinta-feira, 29 de agosto de 2013

Num país quarto-mundista onde arde tudo

Mais um bombeiro (neste caso bombeira) que morre a combater um incêndio. Eleva-se já a cinco o número de bombeiros mortos neste mês de agosto. O que por si só é uma vergonha. Seria legítimo que os bombeiros se unissem e se recusassem a ir para os incêndios enquanto esta ausência de leis e justiça não for invertida. Que lá fossem os senhores ministros e os juízes e já agora também os fazedores de leis estúpidas.
 
As populações deveriam exigir pena máxima para todos os incendiários deste país. Enfiá-los na prisão, mas pô-los a trabalhar, a apagar incêndios, na linha da frente. E se tal não vier a acontecer, destituir os juízes que tomem decisões contrárias às acima indicadas.
 
E a todos aqueles especialistas de merda que vierem com a retólica que os incendiários são pessoas desequilibradas e tal, mandá-los para a puta que os pariu e dizer-lhes na fronha que os desequilibrados e os tolinhos são eles próprios.
 
Enquanto as leis não endurecerem relativamente a este assunto isto não terá fim, perante os sórdidos interesses que por aqui circulam.
 
Isto só endireita à chapada e à bastonada.