quarta-feira, 28 de agosto de 2013

Desmontem-se os mitos

O "ansiolítico" perfeito para as mentes adormecidas dos nossos dias é a Democracia. O conceito de democracia é muito dúbio, muitos foram os autores que disseram que o conceito carecia de uma certa base essencial em si, para que a mesma pudesse de facto gerar uma democracia no verdadeiro sentido da palavra. Discordo do termo democracia quando o mesmo se refere à democracia representativa ou parlamentar. A existir democracia, só se for a democracia directa pois pela amostra tida com a representativa, isto caminha em direcção ao pior Totalitarismo.
 
A democracia pós-modernista do século XXI é a maior "fábrica de doentes mentais e de loucos" de sempre da nossa história contemporânea. Caminhamos para um progressivo esvaziamento ideológico, de sentimentos fortes, e por outro lado, esquecemos a história, menosprezamos as nossas origens em favor de uma subcultura fundada nos mitos panteístas da pantocracia reinante desde a malfadada revolução de 1789. No meio de todo este caos, onde as ideologias são reduzidas à sua condição mais esfarrapada, o homem vê-se confrontado consigo próprio isolado num mundo onde o virtual impera [mais que não seja para gratificação dos sentidos da populaça] sobre o real. O fantástico dá lugar ao escandaloso.
 
Tudo é normal numa sociedade de anormais; não interessa mais se uma coisa é ou não natural, se pode ou não existir. Havendo vontade, tudo se transforma, nem que para isso se tenha de pôr em causa uma série de códigos morais e leis intemporais.