quarta-feira, 29 de maio de 2013

Ao que chegou a democracia

Quando se chega a um ponto em que se pretende justificar tudo o que existe, seja bom ou mau, com a democracia é sinal de que não existe democracia. É paradoxal esta afirmação pois, como pode uma coisa não existir se se diz que ela existe? Analisando com alguma profundidade esta questão, a democracia existe formalmente mas nunca existe num patamar do qual as simples "massas" possam retirar daí algum provento. E como muito bem sabemos, a democracia dita parlamentar, que é mais ou menos a que vigora por todo o lado, baseia-se numa série de pressupostos e teses que nunca foram muito democráticos. A história explica muito bem porquê.
 
A democracia hoje, serve todo o tipo de torpezas inimagináveis, serve ambições sarcásticas e propósitos muito duvidosos. É ver como qualquer político de qualquer partido utiliza hoje o termo democracia: "uma muleta muito útil para outros voos". Enquanto o simples eleitor é "esfolado" no simples acto de se ver constrangido ao direito de voto, é "esfolado" economicamente e "esfolado" psicologicamente. A democracia actual sustenta-se sobre dois pilares que lhe dão forma, os interesses económicos monopolistas mundiais (Plutocracia internacional) e a agenda muito antiga de "passar a tratar a humanidade como gado" (governo único mundial de inspiração maçónico-satânica).
 
Todo aquele que manifestar "frescura de espírito" denunciando o óbvio, e volto a referir, O ÓBVIO, é acusado de antidemocrata, inimigo da liberdade. A democracia é ré e carrasco ao mesmo tempo, conforme as conveniências e a flutuação das opiniões. A cada nova investida, uma deslocação massiva de rebeliões democráticas, como não podia deixar de ser, tratam de anular dissidências lançado para a frente as palavras de ordem´: «Estamos em democracia», e como estamos em democracia vale tudo, até retirar legitimidade democrática a todos os que não concordam com a agenda globalista, sobretudo a que diz respeito à transgressão gravíssima da genealogia e da biologia intrínseca do ser humano, sem esquecer o aborto, a eutanásia, o utilitarismo radical e a inversão da moral e dos costumes.
 
Não existe democracia, porque a democracia tem de ser muito mais do que um jogo perverso, onde uma agenda inimiga dos povos pretende ditar leis.
 
 
 

A inversão moral de um país - a Geneofobia

Depois de ontem ter visto uns resumos do "prós e contras" de segunda feira última, porque não vejo televisão, era capaz de me passar com o que ouviria e partiria a televisão e claro que ela não teria culpa. Mas do que vi e ouvi desses tais resumos, de diversas fontes, aquilo parecia a coisa mais natural e absurda do mundo em simultâneo. Natural porque os que defendem (não chamo coadopção mas sim "Geneofobia") a Geneofobia, estão convencidos e imbuídos de uma "fé" que os faz acreditar que é possível mudar a ordem natural das coisas. Vivem num paraíso gnóstico onde a norma comum é o combate a tudo o que diga respeito às mais altas aspirações humanas, a moral para eles é um "trapo roto". Em nome de taras e perversões "pansexualistas" aplica-se ao homem uma realidade alternativa que não é mais baseada na genealogia e nem sequer num mundo onde a separação dos sexos e a complementaridade dos mesmos é imperativo biológico e ontológico. Não há dois pais nem duas mães, em lado nenhum do universo, nem em Andrómeda, nem na Grande Nuvem de Magalhães e nem tão pouco na espiral NGC298-A. Nem num possível universo de anti-matéria poderia haver dois pais ou duas mães, porque a dualidade sexual, a complementaridade macho e fêmea, é norma de qualquer mundo. Só mentes retrógadas, que desejam voltar a uma possível androginia, seriam capazes de imaginar e desenvolver tal projecto.
 
E esta tentativa absurda de mudar o mundo, indicia claramente que se pretende a prazo, e de uma forma ou de outra, terminar com a procriação natural, e atirar com todos os machos e fêmeas para as calendas. Bem vindo ao melhor dos mundos: "escolha o seu bébé por catálogo, os mais bonitos e fortes são mais caros, mas também temos bébés mais baratos, claro que são mais feios e não tão fortes".
 
Mas a coisa não ficará por aqui, além do corte genealógico, pretende-se igualmente o corte biológico, para de seguida se praticarem grandes orgias pedófilas, filhos com quatro ou cinco pais ou mães serão a coisa mais comum do planeta.
 
Os possíveis extraterrestres que por aqui passarem nestas órbitas, assustar-se-ão enormemente com estado de paneleiragem generalizado, mas o que mais os assustará será a pedofilia legalizada por lei, maldirão os nossos pecados, perdoai-lhes senhor, pois estes não sabem mesmo o que fazem.
 
De animais racionais regredimos a bestas, e aqueles que desenvolveram as teorias do "cagar para dentro" e "do mijar para o ar" são aqueles mesmos que usam um "rolo de massa" e "triângulos" com fartura, prumos sem fio e talocha sem cabo, avental de jerico e penico de quintal, colher de trolha, A VERDADEIRA ENTRADA PARA O INFERNO, SE O INFERNO ESTÁ NA TERRA COMO SE COSTUMA DIZER, ENTÃO, A ENTRADA PARA O INFERNO, FICA MESMO ALI AO LADO, ONDE SÍMBOLOS SÃO PROFANADOS E O HOMEM REDUZIDO Á SUA CONDIÇÃO DE SIMPLES BESTA, TAL COMO OS PRIMEIROS HUMANOÍDES ANDRÓGINOS.