segunda-feira, 3 de dezembro de 2012

Concepções erradas de Deus segundo Voegelin

«A verdade do homem e a verdade de Deus são uma só coisa, una e inseparável. O homem viverá a verdade da sua existência quando abrir a sua psique à verdade de Deus; (...) Platão colocou a parábola da caverna, com sua descrição da periagoge, a conversão, o ponto de inflexão a partir do qual a inverdade da existência humana, tal como prevalecia na sociedade sofista ateniense, é superada pela verdade da Ideia. Platão compreendeu, ademais, que a melhor maneira de assegurar a verdade da existência era a educação adequada desde a primeira infância; por essa razão, no segundo livro da República, ele quis eliminar da educação dos jovens as simbolizações impróprias dos deuses, tais como propagadas pelos poetas. (...)
Nessa mesma ocasião, Platão isolou o componente gnosiológico do problema. Se, durante a juventude, a alma for exposta ao tipo errado de teologia, ficará deformada em seu centro decisivo, no qual se forma o conhecimento da natureza de Deus; a alma se tornará presa da "arqui-mentira", o alethos pseudos, que é a concepção errónea dos deuses».


In A Nova Ciência da Política (Edição brasileira) - Eric Voegelin

Sem comentários:

Enviar um comentário