segunda-feira, 5 de dezembro de 2011

O euro e os carrascos

Começou mais uma das muitas reuniões dos membros da UE para decidirem o que fazer com o euro.
A moeda euro, enquanto projecto político que foi e é, revela-se um fracasso tremendo, e o sarilho é tal que ninguém sabe o que fazer!

Segundo diversos analistas vários cenários são possíveis, embora seja mais ou menos consensual que a UE vá segurar o euro, admite-se no entanto, que o cenário da volta das moedas nacionais pode ser uma realidade a breve prazo... não vejo a coisa tão simples, mas não deixa de ser uma possibilidade que por sinal não é nada do agrado da tecnocracia bruxelista. Num cenário de queda do euro e logo depois da introdução das moedas nacionais, haveria um ajuste cambial com as respectivas desvalorizações e acertos, e todos os países sofreriam desvalorizações, uns mais outros menos, o que daria origem a que ninguém devesse nada a ninguém.

Ora é por isto que o euro é mantido artificialmente. Acabar com o euro implica perdas económicas significativas que os causadores desta embrulhada não querem suportar.
Se não fosse este pormenor, o euro já teria terminado, não há nenhum dogma associado a isto, é claríssimo como a água.
E esta teimosia em manter o euro pode revelar-se fatal para a moeda euro. A ver vamos.

Sem comentários:

Enviar um comentário