quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Da fraternidade às greves - o utilitarismo de feira

24 de novembro de 2011. Greve! O direito à greve é de um docetismo tal, que não me admiraria nada que alguns trabalhadores sejam coacionados a aderir à greve. Assim sendo, prejudica-se todos os outros trabalhadores, que invariavelmente também eles passam 3 horas na estrada para fazerem 30, 40, 50 Km. para chegarem ao seu local de trabalho.

A greve é um direito que nada resolve, tudo ficará na mesma e daqui a algum tempo outra greve.
Direitos que nada resolvem temos vários, mas o utilitarismo (de feira) associado à escatologia dos direitos (aqui como conceito naturalista) oblitera as mentes. Nenhum ganho real se reportará a mais esta greve, a fraternidade seguirá, impiedosa, em direcção à nova escravatura.

Mentes pensantes e anti-utilitarismo são necessários, as greves a fazer são outras, implicam outra ordem psicosocial.

Sem comentários:

Enviar um comentário