sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Laudes

Bendita seja a data celebrada
do dia em que nascemos.
Quando Rimbaud regressava,
moribundo,
e S. João de Deus o sustentava
nos braços, braços do mundo



Bendito o sol que nos alumia,
indiferente.



Bendito Deus
nas trevas
mais profundas



Só uma estrela acompanha
o ritmo do coração,
instante de movimento
entre a noite e a manhã.
Mas não me posso esquecer
do sonho, porta fechada
por alguém que não recordo.

Ruy Cinatti-Horas canónicas

Sem comentários:

Enviar um comentário