quarta-feira, 3 de agosto de 2011

Experiência NA51- A quebra de simetria de isospin do nucleão

O nucleão (protão ou neutrão) é formado por 3 quarks de valência e uma infinidade de quarks de mar, de baixo momento, que os rodeiam. Os quarks de mar existem aos pares quark-antiquark, sendo estes produzidos pelos gluões radiados pelos quarks de valência. Tal como uma carga eléctrica pode radiar um fotão que de seguida pode produzir um par electrão-positrão, um quark pode radiar um gluão que se transforma num par quark-antiquark (os quarks de mar).

Seria de supor que os quarks de mar, u e d, são produzidos em proporções idênticas, ou seja que a simetria de isospin seja válida. O resultado obtido dessa experiência é claro: Há violação de simetria de isospin, pois o quociente antiquark u/antiquark d não é 1, mas vale o,51, com uma margem de erro inferior a 10%!

Os processos da realidade sub-atómica ou microcosmos transcendem a realidade do macrocosmos, mas se eu considero que transcendem também não se me afigura razoável considerá-la separada do macrocosmos. De maneira nenhuma posso considerar que uma e outra não sejam a face inversa do mesmo processo cósmico, falta harmonia e entendimento para se conseguir a síntese necessária entre os processos transcendentais, mas não imanentes nem panenteístas por consequência, do mundo sub-atómico, e os processos clássicos do mundo dos átomos, moléculas, células e por aí fora. A física quântica é uma disciplina fantástica, à qual não posso deixar de manifestar a minha reverência.

Sem comentários:

Enviar um comentário