terça-feira, 16 de agosto de 2011

Considerações de Karl Popper sobre a democracia

«Existem inúmeras maneiras de substituir um governo. O melhor método é a ida às urnas: novas eleições ou um voto no parlamento já eleito podem deitar abaixo um governo. Isso é certamente importante. É portanto um erro colocar a ênfase (como tantos fizeram desde Platão a Marx e mesmo posteriormente) na seguinte questão: "Quem deve governar?" O povo (0 proletariado) ou os mais capazes? Os (bons) trabalhadores ou os (pérfidos) capitalistas? A maioria ou a minoria? O partido da esquerda, o da direita ou o do centro? Todas estas são falsas questões. Pois não interessa quem manda desde que seja possível derrubar um governo sem derramamento de sangue. Qualquer governo passível de ser derrubado tem um forte incentivo para agir de um modo que agrade ao povo. E este incentivo perde-se se o governo souber que não pode ser expulso com essa facilidade.

Para demonstrar quão importante é na prática esta simples teoria da democracia, gostaria de aplicá-la à questão da representação proporcional. O facto de criticar aqui um sistema eleitoral enraízado na constituição da república...deve ser encarado como uma mera tentativa da minha parte de debater algo que raramente é debatido. As constituições não devem ser alteradas de ânimo leve, mas é bom discutí-las com espírito crítico, quanto mais não seja para nos consciencializarmos da sua importância.
Continua.

Sem comentários:

Enviar um comentário