sábado, 9 de julho de 2011

Popper e a autoconsciência humana

Nos três mundos de Popper a existência do mundo 3, e o facto de se compreender objectos desse mesmo mundo 3 através de processos de pensamento do mundo 2, desempenha um papel crucial na explicação da autoconsciência humana, para a consciência de si e para a mente humana, em oposição à mente animal.
Popper costumava afirmar que a matéria não é uma substância mas sim uma estrutura invulgarmente complexa. Do mesmo modo, considerava ele, que a mente humana, o eu humano, também não é uma substância mas sim uma estrutura extremamente complexa. Em primeiro lugar, não consiste apenas na consciência: encontra-se sempre acompanhado pelo conhecimento enraizado nas teorias do mundo 3. Segundo Popper, existe uma interacção excepcionalmente importante entre o mundo 3 das teorias e o mundo 2 humano dos processos da consciência; e a sua tese é que a autoconsciência característica dos seres humanos apenas pode desnvolver-se através dessa interacção.

Esta teoria encontrava-se ligada sumariamente à teoria do conhecimento e da ciência de Popper. A ideia subjacente à sua teoria do conhecimento é que os problemas e as tentativas de resolvê-los através de hipóteses, ou conjecturas precedem qualquer observação. Tanto lógica como historicamente, as teorias surgem em primeiro lugar na nossa experiência do mundo- tanto na nossa história pessoal como na história da humanidade.
Aquilo que, num nível pré-humano, corresponde às teorias são predisposições e expectativas. A magia e o ritual têm provavelmente antecedentes próximos no reino animal. O que nós, humanos, temos a mais é a forma de contar histórias por meio da fala. A novidade na linguagem humana é ter a capacidade de descrever e de argumentar. Entre os animais apenas encontramos expressões de estados interiores e sinais, como avisos e ameaças.

A invenção de uma linguagem humana está relacionada com a possibilidade de relatar acontecimentos. Subsequentemente, os relatos tornam-se muitas vezes permeadas de desejos. Começa-se a contar histórias e como estas se contradizem com frequência, levanta-se o problema da verdade.

A ênfase de Popper sobre o carácter teórico do conhecimento humano levou Popper da epistemologia à teoria do mundo 3. Popper acreditava veementemente que a nossa humanidade se encontra enraízada na existência do mundo 3, que apenas pode ser explicado em relação ao mundo 3 objectivo e com a ideia da criação dos mitos bem como a da verdade objectiva.

Sem comentários:

Enviar um comentário