sexta-feira, 3 de junho de 2011

A lata de latão- Os doutores da democracia

Era inevitável, caiu um galinheiro, ainda por cima na terra dos galos, em cima do "Pinto da grécia". Nada me assusta e me demove, os zangões não me metem medo, diz ele, o pinto da grécia. E continuai a malhar nesses tipos, à maneira do Santinhos Silva.
Doutor de democracia e respectivas lições é o que estes doutos sabem fazer, enriquecer a maralha e empobrecer o edifício social. Esse mesmo edifício social que é muito solicitado pelo "Taramelas do siso" e pelo "Rodésio de massamá". São estes dois a guarda pretoriana do sistema. Não conseguem vislumbrar que apenas estão a agir contra a hipocrisia do sistema e não contra o sistema como pensam. É-lhes permitido agir desta forma pelo sistema, tornando-se numa válvula de descompressão e uma consciência crítica que é inofensiva, sendo por isso permitida. Como dizia Rocco, número 2 da hierarquia fascista italiana: «a luta de classes da qual fazem regra da sua acção quotidiana os marxistas, apenas contribuiu para cavar um fosso intransponível entre cidadãos do mesmo país
Mais uma vez os demo-liberais deram um golpe de génio. Mas apesar desta análise simplista, diga-se de passagem, é por demais evidente o estado de confusão mental em que se encontram certos doutores de democracia que pululam bastante nos círculos da esquerda (in)volutiva. E não só aí como muito bem se sabe. De resto, digo-vos, não vos preocupeís, o "Pinto da grécia" está prestes a ser destronado. O ditadorzeco, que passa a vida a espezinhar os portugueses, ainda tem apoiantes, pasme-se, por aqui se torna bem evidente ao que chegamos e o que nos espera.

Sem comentários:

Enviar um comentário