sexta-feira, 24 de junho de 2011

História e tecnologia

A história não tem sido ensinada de uma maneira correcta. Passaram anos a ensinar história concentrando-se exclusivamente nas realizações tecnológicas da civilização e nos grandes homens que contribuíram para esse progresso. Não é que este método tenha alguma coisa de errado, mas o que é realmente importante é a concepção do mundo própria de cada época histórica, o que cada povo foi sentindo e pensando.
Nem sempre é fácil compreender isto. A história serve para dar a conhecer o contexto mais amplo em que se inscrevem as nossas vidas. A história não é só a evolução da tecnologia; é a evolução do pensamento.
Ao tentarmos compreender a realidade das pessoas que viveram antes de nós, compreendemos por que razão vemos o mundo da maneira como o fazemos e qual o nosso contributo para um maior progresso. Para se compreender a história na sua plenitude, temos de perceber o modo como se desenvolveu a nossa visão actual do mundo, como foi formada pela realidade que os outros, antes de nós, construíram. Foram necessários séculos para que se verificasse esta evolução que conduziu à maneira actual de ver o mundo.
Entretanto, fomos metódica e gradualmente esquecendo a mais importante questão de todas. Esquecemo-nos de que ainda não sabemos para que vivemos. O que implica um aumento da percepção do tempo histórico. Devemos olhar para a cultura, não apenas na perspectiva do nosso próprio tempo de vida, mas da perspectiva de todo o milénio. Só dessa forma poderemos identificar as nossas preocupações e superá-las.
A maioria das pessoas acha que o progresso económico é a "muleta" da tecnologia actual. Que apenas as realizações tecnológicas e económicas continuarão a dar sentido à vida. O que se sabe ser falso. Chegou o momento de o homem pôr de lado essas ilusões e voltar à questão original, de cariz espiritualista: -O que está por detrás da vida neste planeta? Qual a verdadeira razão porque estamos aqui?

Sem comentários:

Enviar um comentário