segunda-feira, 10 de janeiro de 2011

O reino dos disparates

Continua a saga deambulatória dos candidatos à presidência da república. O Sr. Allegretti diz que a entrada do FMI seria um ataque à soberania de Portugal. Mas de que soberania fala ele? Da soberania do país político com as suas fronteiras plenamente definidas não deve ser, pois essa soberania já não existe... talvez fale da soberania dos ladrões que por aqui gravitam... Dá-me uma certa graça ver aquele ar altaneiro a falar da soberania de um país, Portugal, país esse que este senhor já traiu por mais do que uma vez. Mas como o povo gosta é de bacalhau frito, peidos e água fresca, lá pode o Sr. Allegretti vir dizer umas asneirolas que está tudo bem. Deveria dizer-se a este senhor que o FMI já há muito que devia estar em portugal. Não teria havido PEC I, II e III, não teria havido aumento de impostos, não teria havido aumento de IVA, nem haveria cortes dos salários, nem haveria o ESCANDALOSO preço de combustíveis que há de momento. Haveria isso sim, o fim de muita boyzada, o fim de carros de luxo para os senhores ministros, os cortes salariais teriam incidido sobre os grandes gestores e administradores, que é o que deve acontecer, os cortes têm de começar em cima e não em baixo, como é frequente em Portugal... porque é que o Sr. Allegretti não diz isto? Não diz porque também ele, falso defensor dos direitos humanos, é um crápula como o são todos os políticos (ou quase todos).

1 comentário:

  1. A entrada do FMI significava o fim de certas negociatas...


    ANEXO:
    Só o 'Direito ao Veto de quem paga' (vulgo contribuinte) permitirá controlar a classe dirigente...
    Manifesto: NÃO QUEREMOS POLÍTICOS PAIZINHOS - Fim da Cidadania Infantil!
    http://fimcidadaniainfantil.blogspot.com/
    Resumindo e concluindo: não se queixem do facto de estar a ser mal gasto dinheiro do Estado: abram os olhos... e vetem!

    ResponderEliminar