segunda-feira, 8 de novembro de 2010

A panaceia do século XXI- o progresso

O progresso é um dos temas mais solicitados e manifestados sempre que os partidários do progressismo sem rédeas pensam que a democracia está a ser posta em causa. O grande equívoco da onda progressista é não ter em conta os efeitos nocivos que vai causando. A densificação das formas e das mentes, programa há muito estabelecido, fornece poucas opções aos poucos que se opõem a este modelo vigente. Quase que se poderia afirmar que para fugir a tal fatalismo, teríamos de regressar a uma vivência semi-material, muito mais centrada em questões metafísicas do que físicas, tal como aconteceu em eras longínquas com outros povos e outras realidades, mas alcançar um estado destes neste actual mundo grosseiramente materialista é tarefa hercúlea. Quanto mais o homem, desbravadamente, mergulha na matéria, mais ele se afasta da sua essência primordial, ou seja, a contra-parte metafísica do nosso ser.
Só num mundo de cobiça desmedida e do máximo de lucro possível como o nosso, é possível a humanidade ser vítima de atentados silenciosos ao seu bem estar psíquico e fisiológico. É evidente que algo falha, mas..., mas vá lá tentar explicar isso ao vizinho, conhecido ou amigo, oh meus caros, isso de nada vale... estamos no século XXI numa onda progressista... progredimos muito a nível de pensamento, ops, mais abertos e tolerantes, sobretudo com certas etnias, mais cultos, ips.. Tudo isto apesar dos mentores deste projecto nunca terem lido um livro ou estudado algo sobre abertura e tolerância. E moderna! Moderna sim, porque todas as conquistas em nome dos dogmas instituídos fazem parte desse modernismo. E já já de seguida, muito brevemente, liberdade e tolerância religiosa, com a devida claúsula de excepção para uma certa (des)religião.... e não esquecendo a mentira neocleptocrata, liberdade para todos e igualdade para todos, menos para os que sustentam este desvario.... abertura até não se saber mais qual o seu limite.... e igualdade de direitos dos gays e afins, não estará longe o dia em que os comuns mortais terão de se curvar perante as passeatas mimoqueiras destes agentes da igualdade de géneros... deseducação nas escolas, desautorização de encarregados de educação e dos tutores, banalização de tudo e de todos...
E a máquina propagandística sempre a massacrar as mentes e as diversos líbidos dos escravos. Caminhamos para uma nova idade média da barbaríe, recheada de tecnologias e cliques como ipod´s e ipad´s, sempre desligados e centrados na satisfação dos prazeres sensitivos como convém.. , sempre a surfar na onda modernista, porque progressista, note-se. O século XXI, o modernismo e o seu acólito, o progressismo, são uma das guardas avançadas da plutocracia, funcionando também como nova "arma de arremesso" institucionalizada nas mentes colectivas. À falta de clareza de pensamento e de conhecimento das diversas realidades sobrepõem-se a panaceia do modernismo e do progresso, sustentadas por um século XXI que não é mais do que um acidente de calendário, mas este século XXI faz uma coisa que toda a gente tenta negar, que é o facto de transformar o homem em escravo, refém de leis e ideologias que não são suas, mas que foi permitindo que elas vingassem. Agora?? Poderá ser tarde, a menos que não o seja.

1 comentário:

  1. Novidade das Edições Réquila: "Por uma Direita Moderna..." de Rodrigo Emílio.

    edicoesrequila.blogspot.com

    ResponderEliminar