terça-feira, 5 de outubro de 2010

Um dia triste em portugal

Faz hoje cem anos que assasinaram o rei e instauraram uma "ri"pública de má memória para todos nós. Que me perdoem os republicanos, mas este dia é um dia manifestamente triste, pois não vejo o que haja para comemorar. É pena que não lhes façam o mesmo que fizeram há cem anos atrás! De república apenas temos o nome, porque quanto ao símbolo e á utilidade de tal empresa não há nada. Apenas circunstancialismos, roubos e vigarices descarada e declaradamente, imunidades várias, um sem fim de atropelos à lei e uma crescente falta de respeito pelo povo e por portugal, grandiosa nação fundada sob os auspícios da reconquista cristã, da inteligência militar de D. Afonso Henriques e na sagacidade dos seus descendentes. Demos mundos ao mundo, transportando e equilibrando a nossa maneira de ser. Genuinamente lusitana de ser, convém referí-lo. Nenhuma república nos poderia ter dado isto, bem pelo contrário, tirou-nos tudo isso e faz-nos parecer "formigas tontas" que não sabem mais orientarem-se nem desenvolverem-se. Enquanto não for restaurada a monarquia, nunca mais seremos a grande nação que fomos durenta uma boa parte da idade média.

Tenho hoje em casa as bandeiras monárquicas desfraldadas ao vento. A de D. Afonso Henriques, a de D. João I, a de D. Sebastião, a de D. João V e a de D. Carlos.

Sem comentários:

Enviar um comentário