terça-feira, 12 de outubro de 2010

A escrita e a leitura

Duas das mais poderosas "armas" do ser humano que são a leitura e a escrita estão hoje condenadas ao filtro inquisitório dos partidários da globalização. A globalização é inevitável, é o que mais se ouve... mas inevitabilidade é sentirmo-nos noutra dimensão quando lemos o que devemos ler, o espaço aumenta a sua ressonância provocando uma sensação de deslocamento do tempo. Na realidade não há tempo, não passando o tempo de uma construção mental que dá sentido e orientação ao mundo de matéria no qual vivemos. Mas dizia eu que a leitura é um exercício imprescindível a todos os que queiram transpôr-se para além das amarras do espaço e do tempo. A leitura tem de ser de boa qualidade, não poderia ser de outra forma, e cada um é que deve saber o que é leitura de boa qualidade, não sou eu que o vou aqui revelar, e como poderia fazê-lo? Mas há sinais, e quem estiver atento e minimamente receptivo captará esses sinais. Contrariamente ao que durante séculos nos têm dito, a leitura é um acto de "re-criação". E só lendo boa literatura se poderá escrever em conexão com aquilo que num estado equilibrado se poderá chamar de evolução. Os evolucionistas da globalização assustam-se com esta palavra, provoca-lhes visões e desfalecimentos vários....

Sem comentários:

Enviar um comentário