quinta-feira, 9 de setembro de 2010

A fase decisiva aproxima-se

Embora tudo e todos nos queiram convencer de que tudo vai bem, vai sendo tempo de fazermos uma pequena análise do que se vai passando no mundo moderno do século XXI. O sentido colectivo que a nossa história recente tomou diz claramente através das leis que é permissível confundir e manipular as opiniões públicas, conforme os interesses e conveniências, excluíndo aqui as do povo, obviamente. Tudo ficou de pernas para o ar o que aliás, era pretendido. Como dizia Platão « A democracia é a menos má das más formas de governo.» ou ainda « A democracia do povo pelo povo, não tem sentido é informe e vazia e apenas favorece os medíocres, os bajuladores, os especuladores e os sem escrúpulos». É o que acontece nas democracias actuais. Embora em escalas e graus diferentes, Portugal, e para cúmulo das nossas desgraças, é um dos piores do mundo ocidental. Estas democracias dão-se ao luxo de promover a islamização da europa. Compreende-se a um nível profundo e não dogmático o que é pretendido. Como os povos brancos ocidentais são os mais desenvolvidos do mundo em todos os níveis ( e não me refiro apenas às actuais gerações, refiro-me também a todas as gerações de centenas de anos), fora do mundo ocidental, apenas Japão, Austrália, Coreia do Sul e N. Zelândia se lhe aproximam. Não contentes com esta situação, toca a islamizar a europa, para que se tornem obedientes, amorfas e moles, lobomotizadas em nome da nova ordem mundial que a tudo e todos quer nivelar, para que esqueçamos quem somos e donde viemos, apagando a história e as tradições, e para implantar o reino da besta, segue-se a massa mole de indivíduos, a escravocracia, sub-produto da plutocracia ou do reino da besta se preferirmos.
A manipulação social é afanosamente permitida e incentivada, como sendo algo de verdadeiro e transcendente, mas quando se toma conhecimento de um qualquer imã muçulmano estacionado em solo europeu, casado com 3 ou 4 mulheres e com mais de uma quinzena de filhos, que recebe quase 9000 euros(!) mensais em subsídios e apoios diversos e não mexe uma palha. Mas o que é isto?? Para além do abuso isto é gozar com todos os que trabalham, e por mais que trabalhem, a grande maioria, nunca chegará a auferir esses valores. E não esqueçamos outra coisa muito importante, é que os princípios pelos quais se baseiam e se regem esses mesmos subsídios estão em profunda contradição com a democracia moderna, pois, depreende-se que a democracia seja geradora de harmonia dos que dela partilham. Ora assim sendo, e nesta questão concreta acima focada, a contradição é mais do que patente. Estes subsídios e ajudas apenas visam reforçar um certo parasitismo que actua em desfavor de todos os que honestamente trabalham e contribuem para uma sociedade sustentável através dos seus deveres, deveres estes, literalmente banidos das cartas da dogmática marxista, que a plutocracia inteligentemente manipula nos bastidores, para com mais este golpe, acabar com os ocidentais a prazo, substituíndo-os gradualmente por " imbecis islamizados" ( esta expressão não se refere a todos e ainda bem, mas engloba mais de 50 %), o mesmo que é dizer, sem nada na cabeça. E depois chamam-nos de racistas e xenófobos por dizer aquilo que toda a gente sabe que é verdade. Mas já que falamos de racismo, convém aqui esclarecer, ao que vem esse termo. Na realidade e para espanto de muitos, dos menos atentos, pois claro, o termo racismo em si e na sua essência nada tem de negativo ou perjurativo. Racismo é a exaltação da raça, ou mais exactamente a celebração da raça, não sendo o racismo como falsamente promulga a internacional antirra, fonte de ódios, inimizades e discriminações. Simplesmente, o termo racismo foi, como não poderia deixar de ser, tomado de assalto pela plutocracia que muito convenientemente lhe introduziu a enzima da " via de sentido único", significando hoje o termo grosseirismos e distorções que nada têm a ver com o seu real sentido. O racismo é hoje uma "potente arma de dissuasão", um destruidor de opiniões e uma não menos importante pedra de arremesso, que paralisa e confunde mentes, arrebanhando cada vez mais pessoas para a grande mentira. Não se pode ter preferência pública por determinada raça, sobretudo branca e cristã, ou dizer algo ou até fazer um reparo sobre determinadas situações sem que sejamos catalogados com o anedótico termo de preconceituoso. Preconceito? Qual preconceito, isso não existe, existem conceitos, uns errados mas muitos outros certíssimos sobre o mundo e sobre as coisas. E é por causa dos preconceitos da dogmática marxista que estamos na situação que estamos. É graças a esses cérebros geniais que o homem caminha para a escravatura. Não deixa de ser irónico que a internacional antirra aliada à esquerda caviar mundial se considere a libertadora dos povos, quando na realidade a sua actuação contribui e muito para o aprisionamento desses mesmos povos.

2 comentários:

  1. ---> As mais variadas ocorrências... não são uma surpresa... porque, hoje em dia, a Europa é dominada por uma 'Política à Hitler':
    1-> Uma desesperada 'Fuga para a Frente'... para a implosão!...
    {nota: só os Parvos-à-Sérvia é que acreditam que os futuros/novos dominadores demográficos da região... irão preservar a antiga Identidade}
    2-> Teorias (vulgo intolerância) para negar o Direito à Sobrevivência de outros!...


    ANEXO:
    SEPARATISMO-50 NA EUROPA
    ---> Sim, quem quiser ficar à mercê do pessoal (africanos, islâmicos, etc) que anda numa corrida demográfica pelo controlo de novos territórios... QUE FAÇA BOM PROVEITO: tchau!....; todavia, pelo legítimo Direito à diferença:
    TODOS DIFERENTES!!! TODOS IGUAIS!!!
    --- Isto é, TODOS os Povos Autóctones do Planeta Terra:
    -> Inclusive os de 'baixo rendimento demográfico' (reprodutivo)!...
    -> Inclusive os economicamente pouco rentáveis!...
    devem possuir o Direito de ter o SEU espaço no Planeta!!!

    ResponderEliminar
  2. Pelo legítimo direito à diferença, direito esse, que querem acabar com ele.

    ResponderEliminar