quinta-feira, 2 de setembro de 2010

Deportações no tempo do politicamente correcto

Em tempo de "crises" surgem sempre uns "salvadores" que em nome do povo, pois o povo é a democracia, fecham os olhos à realidade, quase como se afinal nós estivessemos tolinhos e fóssemos racistas e restantes "pandeiretas" do costume. O politicamente correcto enferma de vários defeitos que são altamente nocivos à humanidade. Em nome de dogmas e decretos de lei, permite-se confundir a todo o instante o acessório e a substância, permite-se negar a realidade, em nome do politicamente correcto, lá está, permite-se usar e abusar dos chavões de circunstância, chega-se inclusive a comparar esta situação actual com a do regime do 3º Reich, encontrar similitudes entre épocas e contextos muito diferentes é próprio do politicamente correcto, é aliás, uma imagem de marca.
Os governos europeus, frança, dinamarca, suécia, itália e aústria estão a ser sub-repticiamente pressionados a pararem com as deportações, para em nome do politicamente correcto sermos todos muito democratas, com muita liberdade e muitos direitos, inclusive o de f.... os outros, e muitas garantias, com certeza!.... e virem os tontinhos do costume bradar loas à liberdade, aos direitos humanos, ao direito á diferença e restantes mamadeiras á custa do autóctone, que mais uma vez, em nome do politicamente correcto.

Sem comentários:

Enviar um comentário