segunda-feira, 30 de agosto de 2010

A sucessão apostólica e os sacramentos-III

«A constituição da hierarquia eclesiástica, como representante à face da terra da suprema hierarquia ou IGREJA DE MELKI-TSEDEK, por Paulo, objectivava consolidar a sinarquia na europa, tomando Roma por centro da mesma.
No ano zero da nossa era, deu-se a manifestação do espírito de verdade através da missão do 5º Bodhisattwa, conhecido como Jesus o Cristo. Naquela época Roma dominava e avassalava os povos da terra, estendendo os seus domínios até ao médio-oriente onde, na Galileia, nascera o Menino-Deus envolto nos mistérios da igreja de Melki-Tsedek- o REI DO MUNDO. Na realidade foram dois os Seres surgidos, com a missão de restabelecer o império sinárquico iniciado por RAM na face da terra: ambos descendentes genealogicamente de David, um seria o príncipe da linha de Salomão até José ( segundo São Mateus), o Rei de Israel, senhor da espada, senhor do poder temporal, do governo político- Jairo ou Jesus, no original, Jeoshua Ben Pandira. Outro seria o príncipe da linha de Nathan até José ( segundo São Lucas), o Messias de Israel, senhor do báculo, senhor da autoridade espiritual, sacerdote eterno de Melki-Tsedek- Cristo ou Jepher-Sus, o próprio Avatara Celestial veiculando a forma humana de Jesus.
Vêem-se aí mais uma vez em evidência aqueles dois poderes. O objectivo era fazer de Roma o centro do império sinárquico (poder temporal), e formar o sistema geográfico da Palestina ( autoridade espiritual) que seria constituído pelas sete Catedrais do oriente, assinaladas nas epístolas de São Paulo. Seria portanto, restabelecida na face da terra a igreja de Melki-Tsedek, com o Rei trazendo sobre a cabeça a suprema coroa imperial; e o Outro, cingindo sobre a fronte a tríplice tiara pontifical, como Sacerdote do Eterno, realizando juntos a Concórdia universal, ou o GOVERNO TEÚRGICO.
Mas, infelizmente, aquele plano traçado não se realizou, devido à crucificação criminosa do que deveria ser o legítimo Rei de Israel, descendente directo de David e Salomão- Jeoshua Ben Pandira, deixando de haver condições físicas para a continuação da manifestação do último Avatara de piscis, assim volvendo aos reinos interiores do globo. E assim a augusta ordem do Santo Graal teve de se interiorizar, no sentido de intervenção directa na evolução espiritual da Humanidade, restando hoje na face da terra, como vestígio Kármico da tragédia do Gólgota, a decaída igreja de Roma, com os ensinamentos do Cristo transformados não em Religião-Sabedoria mas em Religião-Crença, como hoje patenteia indo de mal a pior...»
Continua.

" Dogma e ritual da igreja e da maçonaria"- Vítor Manuel Adrião.

Sem comentários:

Enviar um comentário