domingo, 8 de agosto de 2010

A sucessão apostólica e os sacramentos

«Diz-se hoje, com certo ênfase, que o catolicismo está espiritualmente falido e que sucumbirá para dar lugar ao cristianismo esotérico!... Esta teoria, de todo errada, provém de certas seitas ditas rosacrucianas dedicadas à propagação de um evangelismo protestante muito bem embrulhado numa amálgama de excertos teosóficos, os quais me parecem ser muito mal compreendidos, direi de passagem.
E errada porque? Ora veja-se.
1º- Essas seitas pseudo-rosacrucianas se o fossem deveriam ser as primeiras a saber que a verdadeira Ordem Rosa cruz, até ao início do século XVII, como descendente dos monges construtores medievais era um grau operativo de iniciados católicos ocultos no foro da mesma igreja, ainda que esta pouco ou nada soubesse desses cristãos esoteristas os quais, quando viram o seu plano de reforma moral e social da europa ser gorado pelo exarcebado Dominicanismo que acabou descambando no Luteranismo ( Martinho Lutero era dominicano), recolheram-se ao Tibete...
2º- Católico, do grego catôllikòs, significa universal, universalista. Não há dois cristianismos! Há, sim, duas maneiras diferentes de encarar o cristianismo, de acordo com a evolução interna do professante: o cristianismo visto pelo leigo na perspectiva mais imediata(exotérica), e a sua compreensão mais íntima velada por vasta simbologia tradicional (esotérica). Ora, uma e outra visões andam a par e passo, e por isso a igreja possui a sua facção exotérica ( pública, desvelada) e possui a esotérica (privada, velada), através da qual se manifestam inúmeras ordens de sabedoria Arcana (templários, Malteses, Rosa cruzes, etc.).
3º- O catolicismo possui uma poderosa egrégora ou alma sinergética colectiva perpetuada até ao presente através dos sacramentos confirmados pela sucessão apostólica, e isto, independentemente do valor do esoterismo e do exoterismo, devendo-se tão só à tradicional passagem confirmada do manto espiritual da igreja. A confirmação apostólica manifesta-se através das Missas que lhe são próprias, dando vida e força acrescentada aos sacramentos.
Nisto as seitas dissidentes do catolicismo perdem, por estarem totalmente destituídas desse poder sinergético pelo que, e por isso mesmo, não passam de seitas ou fragmentos. Postas estas três alíneas, posso rematar que não existe cristianismo esotérico mas tão-só duas formas de encarar uma mesma realidade, uma não subsistindo sem a outra».

De Vítor Manuel Adrião- Dogma e ritual da igreja e da maçonaria.

1 comentário: