quarta-feira, 25 de agosto de 2010

O verdadeiro gueto

Nunca na história humana, pelo menos na oficialmente registada, as convulsões são tão fortes como no século actual. Estas convulsões são de ordem psíquica antes de tudo, e só depois de ordem mental e física. Também nunca na história humana houve um controlo e perseguição aos cidadãos como acontece hoje em dia, e este facto é gerador de grande instabilidade psíquica, o que deixa naturalmente as pessoas confusas, descrentes, apáticas, indecisas, prontas a serem micro-chipadas....
Existe uma incompreensão generalizada do que se está a passar. E mais grave se torna essa incompreensão quando se sabe que caminhamos para o "caos". Vivemos alérgicos, num mundo onde tudo está ao contrário, onde o certo e o errado começam a trocar papeís, onde a tradição é vista como obsoleta e antiquada, onde o modernismo e o progressismo são os novos dogmas da plutocracia reinante, só para dar estes exemplos. O novo catecismo da elite plutocrática cria guetos, duas espécies deles, sobretudo. Cria o gueto ideológico, em que são priobidas todas as ideologias que não tenham a ver com pensamento único, cultura, religião e governo único, tudo isto assente em crenças hiper-materialistas desprovidas de qualquer sentido espiritual. E cria também o gueto do solo. O gueto do solo é o que está a acontecer em vários países europeus, ou melhor dito, na união europeia dos traidores e dos cleptocratas. As actuais leis, que de leis apenas se ficam pelas aberrações que representam, são a principal alavanca de desmantelamento da europa. E com este desmantelamento do modo de vida europeu e com os europeus em geral, pretende-se criar um gueto para esses mesmos europeus, um duplo gueto, psíquico e ideológico.
Igualdade e liberdade para todos, dizem eles... só se fôr a do cala-te e consente ou então és inundado de impropérios por parte da pseudo-cultura-esquerdista. Igualdade, palavra mítica e tão mal compreendida, mas que é isso da igualdade? A igualdade é um anacronismo de que enferma a democracia. A igualdade não existe, nem poderia existir e ainda bem que assim é, caso contrário seríamos todos clones de uma imensa cadeia de vida totalmente desinteressante.
É precisamente para este caminho que os plutocratas nos querem levar. Criando guetos para amordaçarem e submeterem tudo e todos ao reino da besta que se aproxima a passos largos.... tudo em nome da liberdade e da igualdade....

Sem comentários:

Enviar um comentário