terça-feira, 13 de abril de 2010

As direitas e a sua base natural

A direita não é uma entidade fixa; ela é compósita e evolutiva. Durante cerca de dois séculos, ela mudou e alimentou-se de algumas deserções da esquerda. O motor principal da evolução foi a constante passagem das forças de esquerda à direita a partir da renovação da extrema esquerda. Em frança, durante a 3ª república, a extrema-esquerda dos radicais socialistas empurrou para a direita os republicanos moderados, mas estes mesmos radicais são empurrados por sua vez para a direita com a chegada dos socialistas à assembleia nos anos 1890. Depois de 1920, é o partido comunista que se inclina na direcção da direita socialista e radical. Tomemos o exemplo de Raymond Poincaré, figura emblemática da direita. No início do séc.XX, ele esteve ao lado de Dreyfuss com uma parte dos moderados. Depois da guerra (1914-1918), estes moderados de centro esquerda, republicanos, laicos e liberais, bem representados pela Aliança Democrática, são empurrados à direita depois da emergência do partido comunista que com o partido socialista, vem reforçar a esquerda anti-capitalista.
A direita perdeu as suas doutrinas originais impregnadas de monarquia e catolicismo; republicanizou-se e laicisou-se. Neste processo, as ideias, os grupos, os indivíduos procedentes da esquerda jogaram um papel importante. Enquanto a esquerda evoluiu para a direita, a direita primordial, essa, passou para a extrema-direita. Seria o processo inverso possível hoje em dia?

Sem comentários:

Enviar um comentário