quarta-feira, 3 de março de 2010

E se a grécia mostrasse a viua da revolta à UE e ao FMI?(III)

Um ataque concertado de diversos grupos financeiros está em curso contra o euro:

«o país encontra-se no centro de especulações que têm como finalidade o euro e a grécia enquanto elo mais fraco. É um imperativo nacional contrariar estas tentativas de conduzir o país ao abismo.» Foi nestes termos que o primeiro-ministro grego se dirigiu aos mercados financeiros. E, logo após um discurso feito há alguns dias (5-2-2010) em nova deli, o chefe de estado grego volta a afirmar: «um ataque concertado por grupos financeiros está em curso contra o euro, visando não só a grécia mas também a espanha, portugal e a irlanda.»
Na passada sexta-feira(12-2-2010) os principais mercados europeus (acções,obrigações e divisas) continuaram a sua hecatombe. A bolsa de paris perdeu 3,40%, a de atenas 3,75%, o euro baixou a barreira dos 1,36 dólares pela primeira vez em oito meses. Na linha de mira: os 30000 milhões de euros de dívida pública acumulada pelo G7 e a situação na grécia,espanha,portugal e irlanda.

Quem ataca a grécia e a espanha?

Todavia, a situação das finanças públicas da zona euro, não justifica tal pânico dos mercados financeiros que estão claramente a tentar dinamitar a zona euro. Segundo a edição do passado sábado(13-2-2010) do jornal suiço "le temps", citando informações provenientes das próprias autoridades desses estabelecimentos financeiros, um grande banco americano e duas muito importantes edge founds ( uma delas sediada em londres) estariam por detrás dos ataques contra grécia,portugal,espanha e irlanda. O objectivo passa por realizar uma gigantesca hold-up criando pânico que lhes permita exigir à grécia taxas de juro cada vez mais altas. Para os mercados, a dívida pública é um «produto financeiro» como qualquer outro. Tem um preço definido pela oferta e procura. Assim sendo, segundo o jornal suiço le temps, as duas edge founds que suportam o mercado grego em concertação com um banco americano, decidiram acabar com o pânico sobre o mercado dos créditos default swaps(CDS).
O que é pretendido na realidade? Pretende-se garantias sobre os estados a quem se empresta dinheiro. Um CDS tem um preço e troca-se num mercado não regulamento e totalmente opaco. Na sexta feira passada(19-2-2010), o CDS grego estava a 428 pontos base, um valor sem precedente na grécia.

(continua). Tradução feita do blog Mecanopolis

Sem comentários:

Enviar um comentário