quarta-feira, 13 de janeiro de 2010

A concepção da igualdade Vs. a desigualdade

Não poderia ser de estranhar que mais uma vez,certos termos e significados,sejam propositadamente distorcidos.E também não é de estranhar que no caso da igualdade a distorção seja ainda mais visível.
A concepção da igualdade parte de um erro de base muito profundo que causou e continua a causar equívocos.Um dos mais comuns será por certo o facto de se pensar que pelo facto de duas pessoas não serem iguais,uma delas,é superior à outra. O que é uma grande mentira dos mundos materialistas.Transportando esta situação para o casamento homossexual teremos então que,aqueles que se dizem inferiores aos demais por não poderem casar,invertem a situação,tornando o desigual,igual,à força,valendo-se da força da palavra igualdade,assim como da palavra discriminação,homofobia,etc,etc.
No entanto,esquecem-se que a igualdade assim como a liberdade conquista-se,não podendo nada ser atribuído por decreto.A desigualdade natural e intrínseca do homem e de tudo o que existe é a mais alta condição que possa haver.Permite ao homem aprender,pensar e evoluir conscientemente,até tornar a desigualdade como mero pormenor de um campo relativista.
Deveríamos agradecer diariamente a nossa condição de desigualdade,sem ela tudo seria monótono,cinzento e demasiadamente previsível.
No caso do casamento homossexual,que eu não concebo de forma alguma,e isto nada tem a ver com os homossexuais,a coisa é bastante séria.Não se trata de simples caprichos de uma elite sedenta de prazeres no mínimo aberrantes,e aqui que me desculpem os homossexuais é a minha opinião e ela tem de ser respeitada,não se trata de simples caprichos dizia eu,trata-se sobretudo de subverter a ordem natural das coisas,não passando os homossexuais e a homossexualidade dos agentes passivos dos planos traçados que pretendem uma eugenia mais ou menos acentuada num futuro próximo.E que melhor coisa poderia haver senão uma homossexualidade exarcebada e incentivada para que os planos se possam cumprir?

Sem comentários:

Enviar um comentário