segunda-feira, 2 de novembro de 2009

O imobilismo social da esquerda

Um estranho desígnio abateu-se sobre a sociedade Portuguesa.Toda a gente sabe ou pelo menos terá o pressentimento,que estamos a ser subjugados por uma ditadura financeira,social e cultural.E,no entanto,ninguém toma isto a sério.É o modernismo e o progresso,dizem.É o socialismo utópico do «tempo é dinheiro versus a igualdade falsa».A esquerda radical é a melhor intérprete desta fórmula.Tudo é relativo,e tudo é verdadeiro e falso ao mesmo tempo,dependendo da situação e dos contextos.Arranjam-se continuamente bodes expiatórios para lançar as culpas de tudo sobre alguns e assim institucionaliza-se a noção de que existe um culpado eterno,que não os verdadeiros culpados,pela situação difícil em que Portugal está mergulhado.Como tal,há que desobrigar as pessoas de produzirem algo,é o imobilismo total na pior chantagem que se possa fazer à humanidade.E de seguida,juntem-lhes o aborto livre,os casamentos homossexuais e a liberalização das drogas e vejam bem o que se está aí a preparar.

1 comentário:

  1. O pior de tudo é a substituição da população por alienígenas, o desemprego elevadíssimo e a dívida externa a galope, mas receio que só poucos se apercebem da desgraça.

    Cumprimentos,

    ResponderEliminar