domingo, 15 de novembro de 2009

A maldição do individualismo

Na república,a sociedade não é mais um corpo geral, mas uma reunião de indivíduos:como a vontade geral não é mais que uma soma de vontades particulares. A conservação geral,que é o objectivo,não é mais do que a felicidade individual; e vemos com efeito o bem estar físico do homem compensar algumas vezes nas suas repúblicas,a sua degradação moral,e o sacrifício da sua liberdade social: tudo se individualiza,tudo se canaliza e concentra na vida actual; o presente é tudo para a república;não têm futuro. Tudo o que é eterno na religião, tudo o que é permanente na sociedade é por sua vez,destruído ou desconhecido,nega-se a eternidade das penas e das recompensas,a vida futura,até a existência de Deus.E ao mesmo tempo a pena de morte,o primeiro meio de conservação de uma sociedade,é trocada por uma pena temporária,sendo as distinções hereditárias confundidas com funções amovíveis,a propriedade essencial,tudo é subvertido.O homem torna-se inconsciente,e Deus não é mais do que a junção dos seres.Observo o progresso sucessivo dastas opiniões desoladoras;e censurando não alguns anos,mas séculos,não uma ou duas sociedades,mas todas as sociedades,constato com pavor a marcha combinada do ateísmo,do materialismo e do republicanismo.


Louis de Bonald-«Teoria do poder político e religioso.» (1796)

Sem comentários:

Enviar um comentário