quarta-feira, 21 de outubro de 2009

José Saramago e os maus costumes

O nobel Português da literatura,José Saramago,volta a contrapor: - a bíblia é um manual de maus costumes.E mais à frente,volta a contrapor: - não está nos meus planos escrever sobre o islão.
De repente,tenho aquela visão,será que o homem sem sequer o saber é um "agente infiltrado"?
Esvreve sobre o cristianismo mas não escreve sobre o islão.O Sr Saramago está duplamente equivocado.Revela ignorâncias e iliteracias várias.
A bíblia é sobretudo um livro científico que deve ser lido nas entrelinhas.E ao negar Deus,nega-se a si próprio,porque quer ele queira ou não,esse Deus existe,e a prova disso mesmo somos nós humanidade e toda a criação que obedece a leis e princípios universais.O acaso não existe no universo,nem as coincidências,sendo esse mesmo universo dinâmico e em fase de constante aperfeiçoamento.E isso inclui toda a criação, e não só o universo em si enquanto ser macrocósmico.De notar que as palavras Deus e universo representam o mesmo plano,a misteriosa unidade,o uno,de onde tudo provém e onde tudo voltará.
Os maus costumes do Sr.Saramago e da sua jandra não lhes permite ter a lucidez e a "beleza" intrínsseca de reconhecer os factos,nem sequer de se informarem devidamente.
São mais "ruminadores",desenvolvendo ateísmos contrários à razão.Negam Deus e ao negá-lo mais não fazem do negar o acto de criação universal,que é um acto exclusivamente espiritual do qual não depende as nossas opiniões sobre o assunto.
Não é Deus que eles põem em causa,são eles próprios,como produtos imperfeitos de um ateísmo de todo inexistente,impossível sequer ser remota possibilidade de realidade.

Sem comentários:

Enviar um comentário