sábado, 29 de agosto de 2009

Igualdade,liberdade e fraternidade em Portugal

Somos provalmente um caso único a Europa em matéria de serviços e das suas prestações.Como sempre tem vindo a acontecer ao longo de 35 anos de "decramocia",tudo e todos estão submetidos à lógica do maçonismo plutocrático.Na realidade tudo funciona em harmonia com o plano traçado.
Uns têm todos os direitos e mais alguns,mesmo que contribuam pouco ou nada para isso,e outros porque são empregados por conta de outrém e têm ordenado fixo,ou porque são comerciantes ou industriais não têm todos os direitos.O que quer dizer que uns nada fazem e são os coitadinhos,quanto aos outros por seu turno,trabalham,pagam impostos,contribuem para o sistema e depois,não têm esses mesmos direitos.O que mais uma vez quer dizer,que o sistema é autofágico!O sistema está a auto-destruir-se!
De uma falsa igualdade criou-se a sua pior antítese,a "nossa desigualdade" para travar e inverter o processo.Do mesmo modo,a liberdade,não tem dimensão nem expressão positiva num cenário de auto-destruição,porque esta liberdade está indelevelmente assente nesta falsa igualdade.Igualdade,liberdade e a sua trigémea fraternidade caminham sempre juntas em todos os cenários de auto-destruição,seja ela física,moral ou espiritual.
Há muitos exemplos desses ao longo dos milhares de anos de história registada.
Igualdade,liberdade e fraternidade não podem existir em mundos como o nosso,onde a cobiça,a ganância e o lucro desmedidos são as palavras de ordem e não a dignidade humana.Só quando o homem transportar estes conceitos para um plano mais espiritual e menos material eles farão sentido e se tornarão realidade efectiva,e não como acontece actualmente,estas trigémeas servirem os interesses plutocráticos,o reino do "Anti-Cristo".

Sem comentários:

Enviar um comentário