quarta-feira, 22 de julho de 2009

Comunismo,relativismo não relativístico e Anjos e demónios.

Desenganem-se todos aqueles que pensam que o Comunismo e afins não está representado nos governos actuais,seja à esquerda ou à direita.Não o está directamente através de qualquer governo ou da ocupação de lugares de destaque na assembleia da república,mas está subterraneamente implantado,de uma forma altamente corrosiva.Desde o 25 da silva para cá que pacientemente souberam esperar e infiltrar-se a vários níveis,podendo-se dizer que ideologias comunas e afins tomaram de assalto,sectores chave de decisões e de governação.
E não é preciso ir muito longe para se chegar a essa conclusão.Basta ver o caso do antirrismo,do aborto,da eutanásia,da liberalização das drogas,da homossexualidade,etc,etc.
Porque se gastam rios de dinheiro com campanhas estúpidas tipo "todos diferentes,todos iguais"?Porque se intoxica a opinião pública com a legalidade e validade dos casamentos homossexuais?Porque se passa a vida a defender os coitadinhos dos emigrantes?Porque se põe paninhos quentes sobre os criminosos,uma boa parte deles alógenos?Porque se diz raios e coriscos quando um Papa vem dizer que o problema da sida em Á frica não se resolve só com o preservativo?
Pior do que tudo isto,só o facto de o comunismo ser a antítese da fraternidade.Se pensarmos um pouco na história recente depressa chegaremos á conclusão que comunismos e afins não passam de armadilhas bem montadas para os que controlam o mundo passarem a deter ainda mais poder.
Sem esqueçer que o conhecido relativismo,apanágio dos sectores mais esquerdistas,enferma de vários problemas,um deles,na minha opinião,é demonstrativo do grau de desordem que por aí impera,é precisamente,aquilo que tanto dizem combater é o que mais fomentam.De uma forma totalmente ingénua e lipofrénica.Mas esta ingenuidade e lipofrenia traz em si o poder destrutivo à escala atómica,passe o exagero.Tal como em "Anjos e Demónios",o encontro entre matéria e anti-matéria gera um cataclismo inimaginável.O mesmo se passa entre nós,o electrão e o positrão caminham silenciosamente,podem estar a milhões de quilómetros de distância,mas isso,a nada obsta,o encontro é inevitável e fulminante,rajadas de luz se formam,e de matéria volta a energia.e de seguida,de energia novamente a matéria.sempre,sucessivamente,é a dança da vida.Mas a grande e decisiva diferença,é que á escala sub-atómica todos esses processos implicam equilíbrio total,há mudanças de estado,ou melhor,de probabilidades,mas existe sempre equilíbrio.A energia passa a massa,ou a massa a energia num contínuo processo impossível de ser alterado.À escala Humana a história é outra!Por causa da relatividade no campo científico e social.A relativivdade existe e foi criada para nos situarmos num mundo de matéria.A relatividade existe e foi criada com a finalidade de termos sempre um campo contextual para nos relacionarmos com outrém ou outras coisas,para podermos distinguir o alto do baixo,o gordo do magro,o feminino do masculino,etc,etc.Nada existe no nosso mundo de matéria sem o seu contrário:luz e trevas,rápido e lento,dia e noite,etc,etc.A relatividade foi criada unicamente com estes propósitos.O que surgiu mais tarde foram derivações,bem ou mal intencionadas.Mas dizia eu,que à escala humana,o encontro da matéria e da anti-matéria faria com que não houvesse qualquer possibilidade de equilíbrio.O edifício cairia.Parece que essa é a intenção dos actuais donos do mundo.E o comunismo e afins,subterraneamente implantado,mas já a fazer sentir os seus efeitos em pleno,é a nova arma propagandística dos nossos amos.
Mas vai lá aquela gente entender isto!!Não,dizem eles,isso são conspirações,rapistas e xenotolos e outros lampedários do género.É o mais disforme relativismo.É o que se deveria chamar o "Relativismo não relativístico".E o que é o relativismo não relativístico?
Uma coisa muito simples.Vou usar uma pequena analogia para explicar.
No mundo sub-atómico,não existe tempo,nem relatividade,nem determinismo,tudo são probabilidades de probabilidades.
No mundo tão lindo do "relativismo não relativístico",não existe crime nem criminosos,não existe assaltos,não existem tráficos de droga,nem violência gratuita,nem problemas de nenhuma espécie que possam causar indignação e descontentamento de qualquer pessoa ou pessoas.De tanto quererem branquear,fazem inocentemente o serviçinho dos seus amos,porque são muito democratas e prezam muito o estado de direito.Só que,esse estado de direito está tão torto que, ou têm problemas de visão...ou então,continuam a ter problemas de visão.Mas estes problemas de visão são muito mais complexos,pois são aqueles que emanam directamente da estrutura espiritual do Homem,e o mesmo será dizer que há um problema de fundo que a humanidade não se esforça por resolver.
O caminho que oferece o "relativismo não relativístico" é o do encontro da matéria com a anti-matéria,com a respectiva aniquilação do nosso ciclo de vida.

1 comentário:

  1. Parabéns pelo blogue!

    Já vi que tem o Mos Maiorum na sua lista de blogues. Venho convidá-lo a si e aos visitantes do seu espaço para visitarem e participarem no Fórum Pátria:

    http://forumpatria.com/index.php

    ResponderEliminar