quinta-feira, 4 de junho de 2009

Quem tem medo da metafísica?

O cepticismo recorrente,mesmo perante as novas descobertas do mundo científico,não nos permite evoluir nem tão pouco discernir,estamos esmagados pelo materialismo(falo em termos gerais,logicamente),que nos afunda totalmente na carne.
E no entanto,por mais paradoxal que isso parecer às pessoas,o facto é que a matéria é a mais efémera e mais ilusória forma de vida.É preciso compreender que a matéria é sujeita a grande pressão e a constantes transformações,ela reage ao mínimo impulso,sem se saber muito bem como reagirá ao impulso seguinte.Embora o mundo material seja regido por leis materiais,esta mesma matéria está sujeita,a um nível mais profundo,ou seja a nível atómico e sub-atómico,a leis que não obedecem ao que determinam as leis materiais,pelo contrário,são as leis imateriais que dão sentido e existência ao mundo físico.
O mundo físico depende dos supra-mundos para ser realidade,mas a realidade não é nada,assim como o tempo também não é nada,simplesmente a nossa consciência física não se apercebe que o conceito de tempo é um elemento da relatividade,apenas funciona em mundos físicos como o nosso,nos mundos supra-físicos o tempo não existe,porque a cambiante espaço temporal é diferente.O que dá solidez e estrutura palpável ao mundo da matéria,é precisamente o conceito de tempo,que cria um contexto ou vários contextos,e estes contextos não são mais do que aquilo que chamamos realidade,que nos permite viver num mundo de matéria,num mundo de relatividade,em que é impossível a existência de alguma coisa sem o seu contrário.
Quanto ao tempo,é preciso entendê-lo de forma devida.O tempo é o ordenar das nossas ideias,é o oxigenador das nossas consciências,é o que nos permite ter uma escala mensurável na qual possamos estabelecer acções,pensar,sorrir,amar,sempre em momentos diferentes,pois não conseguiríamos vivê-los simultaneamente.O tempo situa,dá sentido ao mundo da matéria,é efémero,na medida em que a ordem transcendente à qual pertence o mundo físico,muda a cada instante as regras do jogo.O tempo a matéria e o mundo físico são deterministas.Pelo seu lado,a realidade,não é nada determinista.Pode-se mesmo dizer que a realidade,e entendam bem a maneira como utilizo aqui a palavra realidade,foge do determinismo como o diabo da cruz.A realidade é a antítese de tudo aquilo que o nosso mundo físico é.Simplesmente porque a realidade,é probabilística,probabiliza a cada instante,há uma infinidade de estados alternativos que não se manifestaram,mas eles não se apagam,a qualquer momento,podem tomar forma...
Há um conflito estrutural de raíz que os físicos quânticos já descobriram( e não são idiotas,vos garanto...),que põe em evidência tudo isto que vos falo aqui.



"O processo mais seguro para se atingir o auto-conhecimento é,segundo Fernando Pessoa,o da alquimia da alma cuja explicação,embora fundamental para quantos ,através dos seus próprios meios,se encontram em fase do abandono do sono com sonhos,ficaria deslocada nestas palavras necessárias..."

"História misteriosa de Portugal-M.Marques M."

Sem comentários:

Enviar um comentário