sábado, 7 de março de 2009

Metafísica do tempo

Aquele que tudo vê e sente(...) ,não conforme ao seu desígnio(...) ,"Balmer" o Senhor dos pesadelos é tudo menos real!


Metafísica do tempo

1-O tempo não existe
2-Verticalidade Vs. horizontalidade
3-O tempo é uma função de perspectiva
4-Alguns enigmas do espaço e do tempo
5-O entendimento do tempo está errado
6-Porque flui a "seta do tempo" da esquerda(passado) para a direita(futuro)
7-Todo o tempo é o mesmo e ao mesmo tempo
8-Não existe passado,presente e futuro
9-O que há de novo?
10-Tempo realidade ou virtualidade?



Vamos falar um pouco sobre estes 10 tópicos,começando pelo fim,o número 10 em ordem decrescente até ao 1.Sim porque o 1 ou o uno é tudo quanto existe.Não há mais nada para além disso!É compreensível e aceitável que isto que acabo aqui de dizer não seja muito bem visto e investigado em pormenor,porque para a nossa ciência institucional e oficial,tais coisas pertencem ao domínio do fantástico e do irreal,são sobretudo desvios psicossomáticos,que algumas pessoas mais também acharão o mesmo ou coisas parecidas.
Mas estou bem consciente do facto de eu pensar e achar que só "existe o uno","Deus","universo"ou o que quiserem chamar-lhe.Porque tudo é a mesma coisa.E ao mesmo tempo.
Mas se tudo é a mesma coisa e ao mesmo tempo,então como justificar a minha pessoa,outras pessoas que estão á minha volta,o meu planeta,outros planetas e corpos celestiais?E porque vivemos e morremos?O fim de tudo é o princípio de alguma coisa,ou pelo contrário alguma coisa poderá ser o fim de tudo?E o tempo para que é que existe?

É bom e de extrema justeza que se diga que não é nada fácil falar destes temas,e isso deve-se ao estado espiritual e mental da humanidade que se encontra de rastos ou lá perto,e quando a pretensa superioridade moral da humanidade perante o dogma tecnológico vem ao de cima,estatelámo-nos,estando a humanidade num lento processo de "estatelamento contínuo",e por mais paradoxal que possa parecer,uma maioria de pessoas no mundo vê isto totalmente ao contrário,sempre escudando-se nas maravilhas tecnológicas,no visível e palpável,no real no verdadeiro no que se vê indistintamente.Bem que avisavam os antigos mestres destas e doutras idades,o progresso tecnológico que não seja acompanhado do respectivo progresso espiritual,não funciona,tende a auto-destruir-se,como se dum estranho desígnio se tratasse.O facto é que é precisamente isso a nossa história moderna e também a antiga o foi,temos tecnologia de massas,temos tecnologia de ponta em algumas áreas,e outras coisas mais,mas isso de nada serve a humanidade,porque estamos perdidos no labirinto da ignorância,achamo-nos muito evoluídos e modernos e esse é o primeiro passo para a barbárie.

10-Tempo realidade ou virtualidade?

A questão do tempo é indissociável da experiência humana,ele existe,independentemente das suas variáveis e conexões,nós sentímo-lo directamente,ele influencia o nosso ritmo de vida,hoje é hoje,ontem foi ontem,amanhã será amanhã.Utilizamos o tempo como se de uma passadeira se tratasse,como se de alguma forma isso nos situasse e nos desse uma perspectiva da nossa situação.Mas na realidade a questão do tempo não é necessária na medida em que o tempo é um factor inexistente.O tempo é um elemento da relatividade,existe somente como condição de um continuum espaço-tempo,não sendo bem real como pensamos,mas sim virtual.
Mas afinal em que ficamos?O que é real e virtual?
A virtualidade que aqui refiro não é bem a mesma virtualidade de que frequentemente falamos.O estado de virtualidade do cosmos é uma infinidade de estados possíveis,probabilidades de probabilidades,e qualquer estado pode surgir e manifestar-se,o que não quer dizer que os outros estados não existam,eles existem e continuam a sua senda incessante.O elemento tempo só é sentido de uma forma efectiva porque é um estado virtual que se manifestou para orientar e dar sentido á vida em ambientes onde o relativo e o mundo das formas predomina.Sem o elemento tempo não seria possível desenvolvermo-nos no nosso planeta Terra,nem conseguir dominar as nossas emoções e sentimentos,nem tão-pouco relacionarmo-nos uns com os outros.
Se repararmos bem,não temos domínio sobre o tempo,estamos constantemente a actualizá-lo,mudamos horários duas vezes por ano,sofrendo ainda o tempo uma actualização de x em x anos por meio de informações do relógio atómico.Mas o tempo não precisa de acertos,ele simplesmente é não sendo,e como tal é óbvio que o tempo não é um princípio "per se",é um elemento da relatividade,é o elo de ligação entre o homem e o espaço não sendo nunca condição para alguma coisa ou algo de concreto,não é condição essencial para haver vida.
Eu sei que isto é muito difícil de conceber!Também eu quando foi confrontado com estas questões fiquei confuso e sem saber o que pensar.Peço-vos paciência,na carteza de saíremos todos mais elucidados.Continua muito em breve.

Sem comentários:

Enviar um comentário