terça-feira, 17 de fevereiro de 2009

Racismos

A propósito de um post no «gladius»,sobre uma lojista em Paris que é constantemente agredida e vilipendiada na sua terra pelos iminvasores,gostaria de deixar aqui umas reflexões sobre o tema.Ou melhor não directamente sobre o tema,mas antes fazer uma deriva ao que está associado a este tema e que serve de desculpa para os actos mais ignóbeis.

Em primeiro lugar o termo racismo é aplicado de uma forma totalmente incoerente,havendo uma constante confusão entre o termo e o seu significado,provocando uma descontextualização que leva a que seja também confundido com o etnocentrismo.Se esta confusão é propositada ou não,ainda não sei bem,mas parece-me que o seja,pelo menos em algumas circunstâncias.Devo dizer que ao contrário do que possam pensar a maior parte das pessoas,o termo racismo é relativamente recente,inexistente na sua essência,e a sua definição não corresponde bem á realidade.Embora reconhecendo que,sociologicamente certas tensões e estados de espírito podem fazer com que venham ao de cima certos "racismos" tal como são definidos pela ortodoxia vigente.Mas isso é outro problema que na realidade nada tem a ver com racismo.Tem sobretudo a ver com um preconceito que criaram sobre eles próprios(as supostas vítimas de racismo) e sobre os outros(os que são considerados racistas).Não estou aqui a dizer que não haja pessoas racistas segundo a definição actual do racismo,existem e existirão sempre,mas são e serão sempre uma minoria.Agora que me queiram dizer que os povos em geral possam ser etnocentristas isso é outro assunto!!!Que não pode ser confundido com o racismo,o que tem vindo a acontecer,mas na realidade são duas coisas muito diferentes.O etnocentrismo pressupõe um sistema de referências dentro de cada povo ou etnia,e afirma categorigamente que quem quiser estabelecer laços de cordialidade ou amizade com outros povos tem de respeitar o seu modo de estar e ser,assim como cada um de si tem de fazer respeitar a sua maneira de estar e ser,isto em reciprocidade mútua,sem questionar ou julgar quaisquer factos ou situações que não façam parte do nosso quotidiano.A mesma situação se aplica para aqueles que querem passar a viver dentro das fronteiras físicas e espirituais de outra nação,devendo sujeitar-se aos valores e referências dessa nação e não esperar que aconteça o contrário!!Que é o que está a acontecer um pouco por todo o lado,e se alguém se manifesta é um racista e xenófobo primário!!!!

Falando um pouco sobre o termo racismo,temos de dizer que a sua actual definição está incorrecta!Está incorrecta porque o racismo na sua génese não era uma doutrina de superioridade em relação a outra ou outras raças,bem pelo contrário,incentivava todas as diferentes raças a celebrar o seu "Jus Sanguinis",agora uma coisa é certa,nem todas as raças estavam preparadas para isso,o mesmo acontece hoje em dia,o que leva á seguinte situação,e isto é bem recente,uma coisa é uma raça achar-se ou não superior a outra ou outras raças,outra coisa bem diferente é uma raça achar-se inferior a outra ou outras raças,e aqui,aconteceu a degeneração do racismo,o paradigma foi alterado,houve uma "truncagem"propositada pelos mesmos que se viriam a aproveitar disso mais tarde.Por causa dessa inferioridade auto-imposta,embora não seja regra geral,sejamos justos,os povos terceiro-mundistas,vêem-nos como os culpados dos males que os afligem,odeiam-nos e estão sempre com o complexo colonialista presente sobre as nossas cabeças,para mais alimentados por uma teocracia que os escraviza e delimita a um território nada digno de Deus.Era bom começar a ver e dizer onde está o racismo,na realidade...



"Não te importes da raça nem da cor da pele..."esta afirmação tem muito mais significado do que parece...Eu não discrimino nada nem ninguém,nem sou racista no actual sentido que se dá a essa palavra.Eu denuncio e tenho toda a legitimidade para o fazer quando achar ou considerar que alguma coisa não está bem,sejam as pessoas em causa,pretas,brancas,amarelas,castanhas,azuis ou ás riscas,e nada nem ninguém me pode chamar racista por causa disso.E quem o fizer está a cometer uma grande injustiça!Sou perfeitamente capaz de manter relações de amizade ou cordialidade com qualquer pessoa,desde que essa pessoa me respeite e se faça respeitar.

O problema não está na cor da pele,nem na religião ou na cultura.O problema está naquilo que as pessoas têm ou não têm na cabeça.E é esta incapacidade que se manifesta a cada instante,o que impede que se entenda o problema na sua real dimensão.Após a "truncagem"do termo racismo,deu-se seguimento ao abuso,os alógenos vão chegando,não respeitam,não se integram,não trabalham,e quem se indugnar e manifestar,é automaticamente acusado de racismo e xenofobia,preconceituoso e discriminador,só que nestes casos,o racismo vem do lado contrário ao que se pensa,assim como os preconceitos,mas enfim,não há capacidade para entenderem mais.São vítimas e algozes ao mesmo tempo,sem disso se aperceberem,causando constrangimentos e condicionantes a todos os naturais que se vêm envolvidos nestas situações.É preciso desmontar estes artifícios,e penso que dei algumas dicas importantes para isso.

Sem comentários:

Enviar um comentário