quinta-feira, 12 de fevereiro de 2009

O politicamente correcto

"Os grandes comportar-se-ão como os pequenos","ninguém saberá quem é quem","os lugares de maior importância política serão ocupados por gente sem educação,provenientes dos baixos estratos sociais..."
Isto são alguns enxertos de profecias antigas,quando o caos se instalar definitivamente na sociedade,o que já está a acontecer.
A civilização actual está atulhada de leis e princípios que não servem para nada,que não nos defendem nem promovem enquanto seres humanos racionais.Progressistas e modernistas,como não se cansam de afirmar os sectores do politicamente correcto.O elitilismo parolo aliado a uma presunção de superioridade intelectual e moral,desfiguraram por completo a unidade nacional.Apenas o clientelismo partidário,a corrupção,o tráfico de influências e o tachismo abjecto contam como factor de valorização individual ou colectiva.Ao ponto que isto chegou já não me admira nada que um dia destes quem não se dedicar a alguma destas actividades seja posto de lado,seja considerado como fora de validade e um alvo a abater.Todas as regras e estatutos estão baseados directa ou indirectamente nessas quatro situações que referi mais acima.E de momento é impossível que assim não seja,tendo em conta toda a lógica de lucro desenfreado,de poder e influência subjacente a tudo o que existe.Num mundo minado pelo poder do dinheiro e da influência que ele gera,as pessoas tornam-se amargas e desconexas em todos os sentidos.Deixam de ter discernimento e vêm-se envolvidas numa teia que as há-de levar á loucura e ao descrédito total de tudo e de todos.

Sem comentários:

Enviar um comentário