quarta-feira, 4 de fevereiro de 2009

Nacionalismo e oportunidades.

Paulatinamente,todos os "ismos"vão se renegando a si próprios,como um comando suicida irrompe por entre as trincheiras enlameadas dos dejectos que constantemente se auto-perpetuam.Menos o nacionalismo que está mais actual do que nunca.E porque digo isto?
Digo-o porque é evidente o estado de terror e pânico que o nacionalismo causa na guarda pretoriana do politicamente correcto.Eles sabem que o nacionalismo é o único "ismo"que não se limita a espernear e a verbalizar ocorrências e factos,isso é o que todos os "ismos fazem,mas o nacionalismo vai mais longe,porque efectivamente,em "potentia"o nacionalismo é co-criador da verdade,tem na sua raíz a solução para os males do mundo.É vanguardista,ao contrário do que afirmam os inimigos velados e não velados do nacionalismo.É vanguardista na medida em que o que afirma e defende não pode ser atacado nem distorcido em nenhum contexto.Quando uma perspectiva social afirma que a base de qualquer sistema social deve reger-se pelo seguinte padrão:Deus,Pátria e família,está simplesmente a mostrar-nos o caminho.Nada de bom é possível fora desta triologia.Sem Deus não há unidade nem discernimento,sem pátria não há referências nem êxtase espiritual e sem família não há evolução nem elevação.
As palavras de ordem da nova ordem mundial são precisamente o contrário disto mesmo que acabei de citar,não há Deus,ou então esse Deus é faccioso e vingativo(o que é falso),não há pátrias,na medida em que as pátrias devem desaparecer para dar lugar a uma confederação de povos que nada têm a ver entre si,criando um estado de letargia em que o conceito de entidade nacional vá desaparecendo,para dar lugar a uma massa imberbe de gentes sem vontade própria e completamente desenraízados do seu habitat natural e não há família,tornando-se esta um mero receptáculo de vontades alheias sujeitas á maior descaracterização que há memória na história do mundo.Tudo isto se passa com a maior complacência do poder instalado,um poder corrompido por anti-valores e pela contínua traição dos que legislam e mandam,tendo como muleta propagandística uma certa esquerda orfã de valores, podre de cérebro,completamente pervertida na perversa nova ordem mundial.Coitada dessa esquerda,acha-se tão libertária,tão progressista,mas no fundo não passa uma fossa mal cheirosa,onde a concentração de moscas provoca um desassosego tal,que ninguém lhe consegue fazer frente.Esta esquerda libertária navega num lamaçal que os há-de engolir a todos,estão a fazer o joguinho do sistema sem disso se aperceberem!!Cabe ao nacionalismo saber posicionar-se e atacar na altura certa.

1 comentário:

  1. De preferência, sem divisionismos e concentrados num objectivo comum. Sem "nacionalismos moderados" e outras patacoadas pseudo-modernas.

    ResponderEliminar