segunda-feira, 2 de fevereiro de 2009

Dos confins até ao infinito.

O que há de novo na anti-sociedade pensante de bufos e terreoídes esquizofrénicos,selvagens,primatas e desrespeitadores do seu estado espiritual?Poucos são os que compreendem o seu estado espiritual,e muiti poucos os que acreditam nisso sequer.Para a maioria somos um simples corpo mortal,e,como tal,devemos gozar ao máximo e ao limite das nossas forças,devemos comer tudo o que nos aparecer á frente,porque é o que levamos desta vida,como se costuma dizer...Mas,será mesmo assim?Não me parece nada que o seja!Os que mandam no mundo,querem fazer-nos crer que é assim,e grande parte das religiões organizadas também,mas as coisas não podem ser assim,não faz sentido nenhum este tipo de comportamento do corpo ser o fim último de tudo.Este não é o funcionamento do universo nem poderia ser,pois,qual seria a utilidade e sentido de biliões e biliões de anos de evolução para tudo se limitar a uma só vida,muitas vezes incipiente,e depois na hora da morte,tudo termina e acabou-se.Claro que isto não faz sentido,se o Universo que é Deus está em constante evolução,como poderíamos nós não estarmos também,se somos parte desse universo e se fomos feitos á imagem e semelhança de Deus?O universo é uma entidade consciente em contínuo processo de crescimento e expansão e todos nós estamos envolvidos nessa "onda consciencial".E estando a humanidade(qualquer género de humanidade,terrestre e doutros planetas) envolvida nesta dinâmica de crescimento e expansão,por um processo não delimitado por um Deus que julga e condena a cada instante,mas sim pelos nossos méritos individuais e colectivos e,como tal,temos de nos sujeitar ao Karma individual e colectivo.Porque nós somos o que fomos no passado e seremos no futuro o que formos actualmente.Esta é a lei,infalível e objectiva.Tudo o que fizermos e dissermos para o bem e para o mal,voltará a nós um dia.Pena continuarmos enredados nesta crença levada e difundida até ao limite de que só vivemos uma vida e que esta vida não é passível de reparação.Isto é tão falso e falacioso como dizer-se de que a terra gira mas como não o sentimos directamente,se calhar ela não gira,ou ainda que sabemos que o vento existe,mas como não o percepcionamos directamente,também não existe.O grande problema aqui é sobretudo consciencial,nós identificámo-nos com o nosso corpo físico e percepcionámo-lo como a única coisa verdadeira.Aliás,as únicas partes que damos como reais,são a física e nada mais.Isto deve-se ao facto de a psicologia e a fisiologia aina não serem capazes de percepcionar formas não físicas e elas existem em maior número e diversidade do que as formas físicas.Mas como não sentimos essas formas não físicas negámo-las,assim como tudo o que não se apalpe,cheire,etc.Aqui está um dos grandes erros da humanidade que nos inibiu de atinjirmos um estatuto mais elevado do que aquele que presentemente temos.É certo e sabido que cada vez mais a humanidade se auto-encerrou num ciclo vicioso,destrutivo,retardador,e sobretudo,falso e ilusório.Falso sim,e ilusório,pois tudo não passa de ilusão,é o mundo das formas,a matéria compactada em pacotes uniformes e multiformes de singularidades registadas e medidas como tal mas sem conteúdo armazenável.A matéria é efémera,sujeita a grande pressão para evoluir e moldar-se segundo os nossos desejos,aspirações ou processos mentais.Portanto,compreendamos,o que é real não ilusório e eterno são os corpos superiores da humanidade,o corpo etérico,o astral e o mental,são estes que realmente comandam,que manipulam e transformam a matéria e o mundo das formas e não o contrário,pensarmos que a matéria e o mundo das formas são ao mesmo tempo o fim último e o princípio de tudo e a única realidade presente só porque esta suposta realidade pode ser provada e comprovada fisicamente e a contra parte espiritual do homem não o pode ser!Não o pode ser de facto,nesses moldes,mas na verdade,os corpos superiores do homem,operam e evoluem noutra dimensão,noutro mundo,um mundo que escapa aos nossos instrumentos de medição.E ainda há outra coisa,os corpos superiores têm uma cambiante espaço-temporal que não se enquadra na esfera material do mundo das formas.O mundo espiritual é por excelência o mundo dos quanta,probabilístico e não determinista em que esquerda e direita,em cima em baixo não fazem sentido.Está muito para além da nossa compreensão actual e muito para além daquilo que damos e achamos como certo e verdadeiro.Claro que um dos problemas da humanidade tem sido um problema de crença.Não acreditamos em nada,exceptuando naquilo que os nossos sentidos enganadores nos permitem ver,cheirar,ouvir,mas,as novas ondas de vida que vão surgindo são cada vez mais etéricas,subtilizadas,regressaremos paulatinamente á nossa condição de andróginos primordiais numa versão mais elevada e aí,iremos ver o que é ou não real,o que é ou não ilusório!
Muitas vezes o homem interroga-se se estaremos ou não sozinhos no universo,ainda não tendo provas concretas de existência de outras humanidades,mas essas provas têm de ser físicas,caso contrário,não há provas!Arrogância e presunção nossa pensarmos que a química e a física seguem o mesmo curso e a mesma sequência do nosso planeta.Esquecemo-nos que os elementos que fazem parte dos tecidos dos nossos corpos foram todos fabricados no interior das estrelas até ao ferro 56,a partir daí há outros processos.Sendo assim,não nos admiremos do universo ter uma multitude de seres e ondas de vida,mesmo que uma grande parte deles não tenha consistência e visibilidade física,operando em domínios etéricos,astrais ou no mental concreto e até no mental abstracto,sendo estes estados invisíveis para a maioria da humanidade,e quando assim é,não acreditamos nisso.Mas a minoria que acredita e percepciona esses estados alternativos(este termo não é o ideal,mas á falta de um melhor aplica-se este) começa a crescer e deixará a médio prazo de ser minoritário.Depois existe o problema da linguagem.É que a nossa linguagem não está preparada para falar daquilo que se desconhece em absoluto,não tem os termos necessários para se falar ou caracterizar os planos espirituais,ela foi feita para as coisas palpáveis e visiveís.Num futuro longínquo,quer acrediteis ou não,uma nova faculdade irá surgir,ou seja um novo sentido,o sexto sentido(não tem nada a ver com o sexto sentido de âmbito psíquico),este sexto sentido aparecerá na aurora da sexta ronda do nosso mavantara,e tem a ver com um novo elemento de natureza espiritual,relacionado de muito perto com a linguagem humana,com a palavra,ou com o significado correcto e infalível do que pretendermos dizer e afirmar.Não haverá mais meias verdades,nem ambiguidades,nem enganos de qualquer espécie,porque a palavra,o gesto,a emoção,levará a sua verdade clara e límpida como a água.Mas nós não acreditamos,e foi-nos dito milhares e milhares de vezes,«só acredito vendo» ou ainda,«ver para crer».Mas agora e aqui,eu digo,CRER PARA VER,mais uma vez,CRER PARA VER,e tanbém,SER PARA TER e ESTAR PARA SER e não como actualmente,ver para crer,ter para ser e ser para estar,o paradigama será alterado,por todo o lado,em tudo e em todos,acabando-se a ilusão,quer acrediteís ou não!!

Sem comentários:

Enviar um comentário